fora-da-toca_duomo-de-milão_CAPA

Duomo de Milão e a deslumbrante arquitetura Gótica

fora-da-toca_duomo-de-milão_01
Livro muito bom para quem ama arquitetura gótica como eu

Sim eu sou absurdamente suspeita para falar sobre o Duomo de Milão. Gosto de arquitetura gótica desde que me lembro, na verdade antes mesmo de saber o que era gótico, eu gostava dos mesmos estilos de construção que via em livros e revistas de arte, até que minha mãe me diagnosticou: “Você gosta de estilo gótico!” E me entregou um livro dela com um monte de construção gótica. Infelizmente era em preto e branco para minha tristeza, mas a partir daí comecei a buscar um pouco mais de informação sobre o estilo, e comprei uma pequena bíblia sobre o gótico pela qual me apaixonei uma vez em uma livraria. Super recomendo para quem gosta. Ao mesmo tempo confesso que tinha um enorme preconceito com o Duomo de Milão porque o estilo externo dele é gótico flamejante, e acho o flamejante muito cafona, além de parecer aqueles castelinhos de areia que fazemos quando somos criança.

No mesmo dia que chegamos à Milão fomos até a Piazza del Duomo. Não ia dar tempo de visitar efetivamente nada, mas queríamos ver, conhecer. Não chegamos pela frente do Duomo, chegamos pela parte de trás, confesso que parei e fiquei um tempo congelada olhando aquela janela GIGANTESCA repleta de vitrais. O desenho… o tamanho… Me senti uma formiguinha, é tudo tão grandioso, tão perfeito.

Primeira vista de quando encarei o Duomo
Primeira vista de quando encarei o Duomo

Depois olhamos pela frente, já tão batida em cartões postais. Amei mesmo foi a parte de trás com as janelas gigantes, é que é muito grande mesmo. Uma das coisas que mais adoro em viagens é quando você chega em um lugar que você está cansada de ver em livros, filmes, etc… e pode admirá-lo com seus próprios olhos… (Fico com a sensação de que faço parte daquilo tudo, tipo, é real)

Essa foto à noite eu achei um espetáculo
Esta foto à noite eu achei um espetáculo
E você achando que essas arminhas de bolha só vendiam na Uruguaiana
E você achando que essas arminhas de bolha só vendiam na Uruguaiana

Com calma, no dia seguinte chegamos na praça cedinho, mesmo assim já estava cheia de ambulantes com os infernais “paus de selfie”, e aqueles outros famosos pelos golpes das pulseirinhas da amizade. Não vimos ninguém fazendo um escândalo por estar sendo cobrado pela pulseira nem nada, mas é um golpe muito famoso, assim como esses outros descritos nesse nosso post sobre golpes aplicados em turistas. Milão foi sem dúvida a cidade em que vimos maior quantidade de ambulantes insistentes, a quantidade era absurda nos arredores do Duomo, chegava a ser incômodo. Acho que só perdem para os guias que cercam o Vaticano em Roma, assunto que falaremos mais tarde.

Para entrar no Duomo você precisa comprar o ingresso, atualmente tem 2 bilheterias (que nós vimos. No site aparecem muitas mais), ambas na parte externa da igreja, uma na direita e uma na esquerda. Inexplicavelmente a da direita estava abarrotada e a da esquerda às moscas. Contornamos o cointainer que vende lembrancinhas (tem desconto para quem compra o ingresso do Duomo), chegamos a bilheteria VAZIA e escolhemos nosso pacote de ingresso, optando pelo mais básico. Tem algumas opções de pacote, cada combinação dá acesso a uma parte a mais do Duomo: seja subir até a cúpula, seja visitar as escavações ou até o museu. Se quiser dar uma conferida nas opções no site do Duomo, basta clicar aqui.  

O Duomo de Milão quase de frente num ângulo não tão batido
O Duomo de Milão quase de frente num ângulo não tão batido

Com ingressos em mãos basta entrar na fila, que de manhã estava pequena, e mostrar sua mochila para revista em cima de uma mesa. DICA: Não pode tirar foto dos guardinhas do lado de fora do Duomo, por mais bonitinhos que pareçam. Se virem, eles vêm até você e mandam apagar as fotos. Sério, passamos por isso, e eles não são lá muito simpáticos.

Eu entrei e congelei olhando para o teto, não pelo teto em si, pinturas ou decorações mas pelos arcos. É tão alto! É tão lindo! As cores das pedras, as luzes, o desenho que os arcos formam, difícil descrever.

O alto das deslumbrantes colunas
O alto das deslumbrantes colunas

Vamos agora com um pouquinho da história da construção do Duomo de Milão

Por volta de 1386 Simone da Orsenigo começou a trabalhar num design de 2 corredores. Antes do início das construções vários problemas estruturais tiveram que ser resolvidos e para isso especialistas de todo o mundo foram chamados. O principal problema era a elevação do projeto que tinha que ser tão alta quanto larga e, para completar porque coisa fácil não tem graça, tinha que ser feita toda em mármore. A relação das medidas da altura da nave e os quatro corredores laterais tinha que ser matematicamente perfeita, não somente por questões estruturais, mas principalmente por causa da “harmonia transcendental”, tudo para criar a catedral ideal.

 

O que é esse detalhe da janela de vitrais? Essa é janela da primeira foto por dentro!
O que é esse detalhe dos vitrais? Essa é janela da primeira foto por dentro!
Perfeição do trabalho na porta
Perfeição do trabalho na porta

Em 1400 quando as obras estavam para começar, o francês Jean Mignot, um dos especialistas convocados para a obra, apresentou uma pequena lista com 54 pontos que provavam que inevitavelmente a catedral ruiria. Obviamente isso levou a inúmeras discussões, agravando com o fato dele ser estrangeiro. Para Mignot, “a arte não é nada sem ciência”, para os italianos “a ciência não é nada sem arte”. Em 1401, 12 novos especialistas foram convocados, e depois de longa discussão, resolveram voltar o projeto da catedral para um modelo anterior desenvolvido pelo matemático Stornaloco. Seu projeto baseado em triângulos isósceles foi adaptado para as partes que já tinham sido construídas e assim calaram o francês. A construção foi terminada em 1572, e a rebuscada decoração do exterior não foi finalizada até os séculos XVIII e XIX. O Duomo de Milão é um documento da tardia arte medieval arquitetônica. A largura colossal do interior do Duomo possui 52 pilares. A parte externa é toda trabalhada no estilo do renascimento gótico.

Exagerei na história? Desculpa mas acho fascinante saber como as coisas são criadas.

Vamos a mais fotos do interior do Duomo.

 

Foto da nave principal do Duomo
Foto da nave principal do Duomo
mais detalhes das colunas e altar
mais detalhes das colunas e altar
Parte do subsolo da igreja
Parte do subsolo da igreja, achei lindo o contraste do teto iluminado com a parte mais escura. Se não me engano são vários túmulos.

Me controlei para não postar todas as fotos, é muito detalhe incrível, tanto dentro quanto fora! Da vontade de compartilhar cada coisinha, mas não tem condições hehehe acreditem material não falta.

Informações gerais – Duomo de Milão

Duração do passeio
Recomendo no mínimo 30min, não lembro quando tempo ficamos por lá admirando

Dica
Como já falei não tirem foto dos guardinhas que ficam do lado de fora da igreja.
Tente a fila do container do lado esquerdo, estava vazio.
Não fotografe com flash.
Não leve “pau de selfie” para atrações histórias e museus, estão proibidos em quase todos os lugares!

Preço
Depende do pacote que você escolher aqui tem o link para os valores fica no final da página deles.

Horário
Funcionamento todos os dias: 08h – 19h.
Último horário para comprar o bilhete no 18h.
Último horário para entrar 18h10 | O fechamento do Duomo começa a 18h40.

– História do Duomo adaptada do livro “Gótico- Arquitetura, escultura e pintura”-

Compartilhe nas redes sociais!

3 comentários em “Duomo de Milão e a deslumbrante arquitetura Gótica

Deixe seu comentário ou dúvida