fora-da-toca_chapada-diamantina_CAPA

Roteiro de 6 dias na Chapada Diamantina

Amizade boa é quando você simplesmente se oferece para invadir a viagem do amiguinho e ele acha a ideia ótima hahaha. Foi assim que fui parar na Chapada Diamantina, esse sempre foi um destino que eu quis ir, mas por mil razões nunca tinha tido a oportunidade. Quando o Ed disse que ia com um casal de amigos, a louca aqui implorou para ser levada junto. E não é que deu certo? Planejamos a viagem no final do ano para ir no início de janeiro, meus chefes por sorte me liberaram e pude ir em paz curtir 1 semana de mini-férias.

nós 4 na pose mundialmente conhecida como minha vida é um sucesso
nós 4 na pose mundialmente conhecida como “minha vida é um sucesso”

Nosso roteiro, depois de muito analisar as opções ficou assim:

DIA 1
Saída de Salvador e chegada em Lençóis 

Fomos em 4, (eu, Ed, Roberta e Léo) alugamos no aeroporto de Salvador uma Duster para dar conta das aventuras, a reserva foi feita com antecedência. Até todo mundo se encontrar e pegar o carro já era mais de meio dia. Recomendo o aluguel para fazer a Chapada Diamantina, você tem mais autonomia e liberdade de criar os roteiros. O caminho mesmo de carro ( e só com uma parada para almoço ) até Lençóis é bem longo, levamos cerca de 6 horas. Ou seja, o primeiro dia de viagem é praticamente morto, não dá para fazer nada.

caminho que fizemos para Lençóis
caminho que fizemos para Lençóis | Imagem Google Maps

Chegamos em Lençóis já de noite, exaustos da estrada, foi só tomar um banho e seguir para jantar. A Pousada Canto dos Pássaros onde ficamos, era bem pertinho do centro da cidade e fomos a pé tirar a barriga da miséria.

as ruelinhas de Lençóis
as ruelinhas de Lençóis

As ruas de pedras do centro de Lençóis são repletas de barzinhos, restaurantes e lojas, tem para todos os gostos. Além dos restaurantes, o centro é onde tem mercado e farmácia, aproveitamos para nos abastecer para os passeios do dia seguinte já que sairíamos cedo e estávamos com medo de pegar tudo fechado. Você pode clicar aqui (EM BREVE) e saber como foi nossa estadia em Lençóis além de descobrir mais dicas.

 

DIA 2
Poço do Diabo / Gruta da Pratinha / Gruta Azul / Morro do Pai Inácio

Saída de Lençóis em direção a Capão.

mais ou menos a nossa rota, levando em consideração que fizemos várias paradas pelo caminho
mais ou menos a nossa rota, levando em consideração que fizemos várias paradas pelo caminho | Imagem Google Maps

Iríamos primeiro a cachoeira do Mosquito que fica em Lençóis mas devido a falta de chuva na região, nos recomendaram passar pois a cachoeira estava seca.

Seguimos para o Poço do DiaboVocê pode clicar em cima de cada atração e saber como foi conhecer: Poço do Diabo / Gruta da Pratinha / Gruta Azul / Morro do Pai Inácio (EM BREVE) no nosso segundo dia de aventuras.

Poço do Diabo
Poço do Diabo

Do poço com o dia abrindo sol, fomos para a Gruta da Pratinha e o Poço Azul, é um “pacote” que você compra que inclui os dois lugares, mas não as atividades extras como tirolesa, stand up ou pedalinho.  Ficamos por lá para almoçar e fizemos hora para o pôr do sol.

Gruta da Pratinha
Gruta da Pratinha

Um dos lugares mais tradicionais da chapada para aproveitar o pôr do sol é o Morro do Pai Inácio, a trilha é bem tranquila e consideravelmente cada vez mais cheia conforme se aproxima a hora do pôr do sol.

vista do Morro do Pai Inácio
vista do Morro do Pai Inácio

Chegamos em Capão, na Pousada Tarumim, obviamente já de noite. Famintos, fomos ao centro de Capão para jantar. A Pizzaria Capão Grande é famosa pelas pizzas vegetariana e claro que não perdemos oportunidade de experimentar.

 

DIA 3

Fumaça e Riachinho

Saímos cedo para a Cachoeira da Fumaça, a entrada para o parque era bem perto do hotel então fomos a pé. Nesse parque não é obrigatório entrar com guia. Depois de torrar no sol que abriu durante a trilha e fazer um lanche com pastel de jaca ( sim existe e é maravilhoso) decidimos aproveitar o final do dia na Cachoeira do Riachinho. Leia mais aqui como foi a aventura completa desse dia! (EM BREVE)

uma das vistas da Cachoeira da Fumaça
uma das vistas da Cachoeira da Fumaça

DIA 4
Buracão

Saída de Capão para Ibicoara. Saímos muito cedo já que a viagem era bem longa.

pegamos a rota maior por que a qualidade da estrada era melhor
pegamos a rota maior por que a qualidade da estrada era melhor

Chegamos na Pousada Flor de Lótus, e conseguimos com ajuda da Conceição, dona da pousada um guia de última hora para ir para a Cachoeira do Buracão. Não façam que nem nós, reservem antes hehe. O passeio leva o dia todo é vale muito a pena, já que além da principal cachoeira todo o caminho até chegar ao Buracão tem quedas de água para se refrescar. Clique aqui e confira como foi a aventura completa desse dia! (EM BREVE)

Cachoeira do Buracão
Cachoeira do Buracão

DIA 5
Fumacinha

Demoramos para negociar o guia na noite anterior e quase ficamos sem um para ir para a cachoeira da Fumacinha. Como essa trilha é bem grande tem que sair SUPER cedo e a pousada, acostumada com esse esquema, oferece café antes para quem precisa, além de disponibilizar para compra um kit de lanche ( mais do que farto ) para encarar a aventura. O passeio leva o dia todo mas vale demais, no final, estávamos exaustos. Você pode ler aqui como foi nossa aventura de 18km até chegar a Fumacinha. 

admirando a cachoeira da fumacinha
admirando a Cachoeira da Fumacinha

DIA 6
Licuri, Poço Azul e Retorno para Salvador

Seguindo a dica da dona Conceição da pousada Flor de Lótus, decidimos visitar a cachoeira do Licuri, literalmente ela estava só para nós. Para fechar a viagem partimos para o Poço Azul já indo em direção a Salvador, onde conseguimos pegar um finalzinho de luz na caverna. Chegamos quase meia noite em Salvador, comemos em um bar ainda aberto e apagamos.

Cachoeira do Licuri, literalmente só com a gente
Cachoeira do Licuri, literalmente só com a gente

DIA 7
Despedida

Como o voo era de tarde, passeamos no elevador Lacerda e rodamos algumas igrejas em Salvador até dar hora do almoço e fomos comer uma moqueca no Mercado Municipal. Voamos para o aeroporto chegando no limite mas tudo deu certo no final.

passeando por Salvador
passeando por Salvador

Dica Fora da Toca

Dica importante leve dinheiro vivo, o único banco que encontramos nas cidades foi um Banco do Brasil.

Uma dica legal é você comprar uma mochila com reservatório de água. Inclusive vendem só o reservatório separado. Comprei uma na Decathlon para galera que faz trilha de bike, foi o melhor custo benefício que eu achei. Além de ser impermeável, já vir com capa de chuva e ser cheia de bolsos para separar as coisas.

O ideal é ter pelo menos duas pessoas para revezar o volante assim fica menos cansativo, tanto a viagem até a Chapada quanto entre os passeios, no final todo mundo fica bem cansado.

Obrigada!

Antes de começar os relatos de cada aventura na Chapada Diamantina gostaria de agradece ao Léo e a Roberta por terem me aceitado nessa viagem, foi muito legal MESMO, excelente companhia e com super paciência para a pessoa aqui que não tinha prática ( e continua não tendo muita) em trilhas. Ed, são 10 anos de amizade, me aturar por uma semana é o mínimo que eu espero de você hahaha.

Compartilhe nas redes sociais!

4 comentários em “Roteiro de 6 dias na Chapada Diamantina