Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

Bolonha e os 498 degraus da Torri degli Asinelli

cara de quem só tem boas ideias
cara de quem só tem boas ideias, torre ao fundo

Bolonha ou Bologna foi uma cidade subaproveitada em nossa viagem. Não por falta de vontade mas por falta de tempo mesmo. Ainda assim demos uma voltinha pelo centro histórico e consegui matar meu desejo de subir a Torri degli Asinelli.

Bolonha acabou sendo escolhida para fazer parte do nosso roteiro pela posição estratégica para as outras cidades que queríamos visitar. De lá era fácil nos deslocarmos para Modena e Maranello para curtir o passeio Discover Ferrari and Pavarotti land (post sobre o passeio em breve) e fácil também para seguir para o sul para visitarmos Ravenna (EM BREVE), San Marino e Tavullia (EM BREVE). Você pode conferir nossos passeios a cada uma das cidades acima clicando nos nomes das mesmas.

Então chegamos em Bolonha de trem vindo de Veneza já de tarde. Estava um pouco apreensiva com o lugar que tinha escolhido para nos hospedarmos pois era um quarto em uma ruela (coisas que existem aos montes na Itália) que via google street view não era lá muitoooo encantadora. Mas era tão elogiado no booking que reservei.

Bolonha é a capital e a maior cidade da região da Emília-Romana. Bolonha é uma cidade universitária, e obviamente com muitos jovens. Muitos mesmo, e suas adoráveis nuvens de fumaça de cigarro, em toda nossa viagem não vimos um lugar onde se fumasse tanto! Impossível dar mais de 5 passos sem cair dentro de uma nuvem de cigarro, para mim que tenho alergia foi complicado.

cigarros básicos
cigarros básicos

Desabafos a parte a cidade também é conhecida como “La grassa, La dotta, La rossa”  ou seja a gorda, a culta, a vermelha. Esses nomes não são a toa, Bolonha tem uma gastronomia maravilhosa (origem do famoso molho à bolonhesa, conhecida também como ragu), bibliotecas e universidades (a mais antiga em funcionamento do mundo), e se você subir a Torri degli Asinelli vai entender porque ele é chamada de vermelha, mostro fotos depois…só para constar fomos estúpidos e não nos fotografamos lá em cima, aprendendo a ter um blog de viagens… que dificuldade.

ruela onde ficava nosso apartamento e os famosos arcos de Bolonha
ruela onde ficava nosso apartamento e os famosos arcos de Bolonha

A arquitetura de Bolonha é bem conhecida não só pelo vermelho, que impera nas construções mas também pelos quilômetros de pórticos espalhados pela cidade. Esse tipo de construção eu acho maravilhosa pois permite o deslocamento das pessoas sem grandes dificuldades com chuva ou um sol de rachar coco. Aqui no Rio alguns prédios do centro da cidade tem essa proposta com grandes pilotis o Plano Agache foi responsável por isso. Àquela altura minha fixação era ver o quarto (e se fosse ruim? O que eu ia fazer?) e sair correndo para conhecer a torre.

Depois de longa caminhada desde a estação até nossa rua, devido a minha ainda falta de prática com o GPS off-line e com direito a passar por uma parada Medieval, chegamos a Via Marsala. A Via Marsala é uma rua relativamente estreita com umas mercearias, alguns restaurantes que iam abrir, em resumo, se fosse no centro da cidade do Rio você não passaria a noite. Mas estamos na Itália!

parada medieval a mil! Fiquei apaixonada, acho que demos sorte!
parada medieval a mil! Fiquei apaixonada, acho que demos sorte!

A entrada para o prédio onde alugamos o quarto/ apartamento era um portão absurdo de grande, o prédio super antigo e com largas escadas dignas de princesas descerem. Para o elevador um esquema meio português, descer um lance de escadas para pegá-lo.

nossa varanda quase particular, os banheiros, um dos quartos e a cozinha.
nossa varanda quase particular, os banheiros, um dos quartos e a cozinha.

Como estava de mochila fui direto de escada mesmo. Fomos absurdamente bem atendidos pelos responsáveis pelo Residence Vita Studios & Apartaments todos muito solícitos e simpáticos em nos acomodarem. Olhei para nosso apartamento, praticamente dentro do telhado, e abrimos a porta. O apartamento era bem grande pois estávamos em 4. Quando eu digo grande…é GRANDE! 3 quartos, uma sala com cozinha e dois banheiros sendo que um tinha máquina de lavar e o outro uma clarabóia que nos enganava parecendo que a luz estava acesa, a cozinha tinha tudo que você precisava para sobreviver. Além do apartamento, uma varanda comunitária estava disponível para todos os hóspedes do Residence, largamos as malas, respiramos 5 minutos na varanda apreciando a vista de duas das inúmeras torres que um dia existiram da cidade e saímos para conhecer o centro.

vista da varanda
vista da varanda

Além de estar cheio, acredito eu por causa das faculdades somado ao horário de fim de tarde, o centro estava em obras. Então primeiro as prioridades, minha torre.

Linhas bolhas na Piazza Magiore
Linhas bolhas na Piazza Maggiore

Bolonha tem tantos “nomes” que parece a Daenerys do Game of Thrones (juro que vou fazer uma lista no final do post) , sendo assim, a cidade também é conhecida como cidade das duas torres e “turrita” devido a quantidade de torres que possuiu (e ainda possui) ela já chegou a ter 200 torres!! Cada uma maior do que a outra pois era uma forma das famílias importantes se mostrarem mais poderosas que as outras, li em algum lugar que eles até se atacavam, mas também usavam para proteger a cidade. Nem tudo é perfeito e algumas caíram com o passar dos anos e outras foram demolidas ou “encolhidas” por segurança, hoje restam 24.

 

As principais torres que dão um dos “sub-nomes” de Bolonha são: Garisenda e Asinelli.

Garisenda e Asinelli respectivamente
Garisenda e Asinelli respectivamente

A Garisenda foi construída entre 1109-19, em meados do século 14 a torre teve que ser reduzida, hoje mede 47 metros e é bem menor que sua vizinha. Atualmente é fechada para visitação por segurança pois está torta.

A Torri degli Asinelli foi construída entre 1109-19 pela família do mesmo nome, mede 97,20 metros e possui uma escada de apenas 498 degraus. No século seguinte foi adquirida pela Câmara Municipal de Bolonha. No pé da torre você pode encontrar algumas lojas de artesanato e ateliês, que lembram o comércio do Medieval’ mercato di mezzo ‘mercantes. As janelas parecem ser originais, feitas de pesadas madeiras e ferros.

subida inicial da torre, e detalhe dos quadros que ficam ao lado da bilheteria
subida inicial da torre, e detalhe dos quadros que ficam ao lado da bilheteria

O início da subida é em espiral até você chegar numa janelinha para comprar seu ticket. Respeite o horário de visitação eles não deixam mesmo entrar depois. Quando termina a parte em espiral começa a subida quadrada. São muitos lances de escada. Um escada estreita, de degraus pequenos e gastos, por onde o fluxo de pessoas sobe e desce. Em resumo uma emoção só!

as escadarias internas, e um dos platôs que nos enganaram
as escadarias internas, e um dos platôs que nos enganaram

A cada certa quantidade de lances (eu não contei e nem sei se é padronizado) tem um platô, onde você recupera seu fôlego e xinga um pouco pois você olhando de baixo para cima fica crente crente que está chegando no topo.

algumas placas das medidas
algumas placas das medidas, tinha uma que marcava a torre de Pisa mas não fotografei

Para ter uma ideia da grandiosidade da torre, nas paredes é possível encontrar placas com nomes de outras construções famosas e suas medidas correspondentes, só para você sentir o quanto está subindo. Não cronometrei a subida que é intercalada com vários “encosta na parede” para o pessoal passar, mas não demoramos muito não. O topo é meio apertadinho mas a vista é SENSACIONAL! Muito bem, demos por visto o lugar, não nos fotografamos e fizemos todo o caminho de volta nas escadas estreitas que são muito pior descendo do que subindo obviamente.

vista do alto da torre, da para ver a rua principal cortando a cidade
vista do alto da torre, da para ver a rua principal cortando a cidade, a Piazza Maggiore a esquerda
vista do alto da torre, aqui da para ver outras torres da cidade
vista do alto da torre, aqui da para ver outras torres da cidade
vista do alto da torre
vista do alto da torre

Já que estávamos no centro aproveitamos para conhecer a parte mais central, ali é possível admirar a fonte de Netuno na Piazza de Netuno que é grudada na Piazza Maggiore, que estava lotada! Muitas famílias, crianças encantadas com as bolhas de sabão. E também estávamos a poucos passos da Basilica de São Petronio, o Palazzo Comunale, Palazzo del Podestà e o Palzzo Re Enzo. A igreja você pode entrar para conhecer os outros prédios acredito que não pois são do governo. Acabou que não deu tempo de entrar na igreja… Bolonha merece uma visita com mais calma, mas foi muito legal.

Palazzo Comunnale
Palazzo Comunnale
Palazzo del Podestà
Palazzo del Podestà
Fontana del Nettuno
Fontana del Nettuno

Já indo embora para seguirmos viagem para Firenzi, minha mãe resolveu entrar da igreja por onde passávamos todos os dias a Igreja “Chiesa di San Martino”. Foi fundada em 1227 e é uma paróquia dirigida por Padres Carmelitas desde 1293. Ela teve a fachada refeita em 1879 e desenhada por Giuseppe Modonesi.

crédito total das fotos da igreja para minha mãe
crédito total das fotos da igreja para minha mãe

 

Gostaria de agradecer à toda equipe do Residence Vita Studios & Apartaments, na realidade eu poderia agradecer à todos que nos atenderam nos b & b’s e apartamentos durante nossa viagem, foram todos absurdamente gentis e educados conosco. Muito obrigada por terem feito essa viagem ainda mais especial!

Dica do Fora da Toca

Na rua em que ficamos tem um bar/ restaurante muito gostoso, que é super animado de noite, o Marsalino! A comida era bem gostosa e o preço super justo! Eles abrem na hora do almoço, super recomendo o pão com presunto cru! Eles tem vários prêmios pendurados na parede de viajantes que recomendam, foi uma grata surpresa sem dúvida!

só pratos deliciosos! O da direita é o pão com presunto cru e queijo...é uma refeição..
só pratos deliciosos! O da direita é o pão com presunto cru e queijo…é uma refeição!
Marsalino
Endereço: Via Marsala, 13, 40126 Bologna, Itália
Horario de funcionamento: diariamente de 12h – 2h | domingo 18h – 2h

AH já ia esquecendo da listinha, foi um prazer passar esses dias em:
Bologna, Bolonha, La grassa, La dotta, La rossa, a cidade das duas torres e Turrita.

 

Torri degli Asinelli

Endereço: Piazza di Porta Ravegnana, 40126 Bologna, Itália
Horário: diariamente de 9h – 19h (horário de verão) 
                 diariamente de 9h – 17h (horário de inverno)
Preço: 3 euros
Mais informações no site oficial de Bolonha

– ninguém pagou ou patrocinou esse post, as dicas são meramente reflexo da nossa experiência positiva.  Bolonha nós vamos voltar!!! –

-informações sobre a igreja retiradas da Wikipidia Italiana-

siga e compartilhe
Follow by Email
Facebook
Google+
https://foradatoca.com/italia/bolonha-os-498-degraus-da-torri-degli-asinelli/
Twitter
Pinterest
Instagram

2 comentários em “Bolonha e os 498 degraus da Torri degli Asinelli

  1. Sensacional o resumo de Bolonha e grata lembrança do restaurante Marsalino. Sem dúvida uma grande descoberta!

Deixe seu comentário ou dúvida

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.